15 de Janeiro de 2010

"Sozinhos chegamos rápido............ juntos chegamos longe..."

Todos os caminhos têm um início. Mas será que têm um fim? Essa é uma questão em que pensamos vezes e vezes sem conta: alcançar o final do caminho. Mas de que vale chegar ao final cansado e sem nada de novo?

Sempre que nos fazemos à estrada, numa deslocação habitual, temos um destino final. Mas quando se trata de CAMINHAR, tudo muda. Cada objectivo a que nos propomos tem mais do que um caminho possível. E é aí que começa a complicar: “que caminho escolher?” “ Qual deles é melhor?” “Qual o mais fácil?” Esta última questão é
fatal muitas vezes: pesa muito para muitos quando na realidade de nada vale: a facilidade inicial acaba por nos levar por trilhos complexos e obscuros. E esta é uma tentação banal que nos leva à política do facilitismo: “se é fácil vou, se não é não vou!” E assim se perde grande parte da vida que podemos ter: sem arriscar, sem se dar ao trabalho de lutar, sem nada fazer….

Porém podíamos também colocar outras questões: “Qual o caminho que nos leva à auto-realização?”, “Qual o caminho que nos faz crescer, que nos leva mais longe”… estas e outras questões tão simples e muito importantes são muitas vezes omitidas do nosso pensamento. Porquê? Simplesmente porque não vivemos num mundo livre: temos liberdade de expressão enquanto não nos tornamos incómodos, ou seja, enquanto nos mantemos nos parâmetros da sociedade. E quando queremos ir mais longe, lutar e crescer somos aprisionados na sociedade egoísta em que vivemos. Ser diferente não é aceitável: é intolerável por muitas pessoas. Mas se todos somos diferentes, porque temos de agir e pensar da mesma maneira? Porque temos todos de seguir os mesmos trilhos que os outros seguem sem questionar sequer?


Está na altura de dizer basta! Está na altura de perceber que ser diferente é viver. A diferença permite o crescimento. Os erros permitem a aprendizagem. Os riscos a auto-realização. A igualdade permite sobreviver: ser um “cadáver adiado que procria”. Ninguém é um ser perfeito nem tem de o ser. Enquanto for cultivada a mensagem de caminhar sozinho, então poder-se-á ver sempre todos os defeitos de alguém. Mas se nos juntarmos e formos caminhando juntos, podemos ir mais longe, onde os defeitos de uns numa parte do caminho são qualidades noutra e onde as qualidades de uns ajudam os outros a superar as suas fragilidades. “Sozinhos chegamos rápido, juntos chegamos longe…” Resta saber se queremos chegar depressa e vazios de sentido ou se queremos ir mais longe ao mesmo tempo que nos preenchemos.

1 comentário:

  1. É evidente que ao longo da caminhada temos muitas dúvidas: avançamos? paramos? recuamos? claro que não sabemos o que nos reserva o futuro mas se nao arriscarmos nunca saberemos o resultado...
    só sei que se caminhares sozinho a caminhada torna-se dificil, mas se me levares contigo eu ajudo-te a caminhar...

    ResponderEliminar